22 setembro 2007

Shoppin' around

Às 16h teríamos que encontrar Mike Freeman para o primeiro tour pelos chamados Elvis places. Por poucos minutos nos atrasamos e, quando chegamos no Cook Convention Center, ele já não estava mais lá. Fiquei tão triste porque as chances de conseguirmos fazer esse passeio de novo eram poucas. Contudo, já que a gente tava ali mesmo o negócio era aproveitar, né?

As meninas entraram sem pagar de novo e fizemos mais compras na Elvis Expo. Não deu tempo de ver Priscilla, mas eu não me arrependo de ter preferido Graceland a ela pela manhã. Na exposição, comprei um relógio vermelho com o nome de Elvis na pulseira e o rosto dele no visor e uma linda bolsa em forma de guitarra. Depois eu percebi que ela tem um problema muito sério: não dá pra por muita coisa nela, uma vez que - pelo próprio formato - a parte de cima é estreita e ela é bem funda. Por outro lado, eu posso bater no peito e dizer que sou a única pessoa que conheço que tem um modelo deste. Preço do mimo: 50 dólares.

Esta foi apenas a primeira das quatro bolsas que comprei em Memphis.

Não satisfeita com as compras até ali (lembrem-se que eu já havia estourado minha cota de 500 dólares), ainda encarei uma super promoção com as meninas: três cadeiras a 20 dólares cada. Aí você, com certeza, tem toda a liberdade para me perguntar duas coisas: tá doida, Gil? E o que você vai fazer com isso? Simples, meus amigos. O uso inicial dela tinha uma justificativa que o próprio vendedor (um cara que estava comemorando 14 anos de casado naquele dia e cuja esposa estava ali do lado, creio eu, para fechar o stand e ir pra casa): ela seria de suma importância na Candlelight Vigil.

Bastou dizer isso para que eu e Marluce nos decidíssemos. Nilma ainda pensou bastante mas a convencemos que a cadeira é de fácil transporte (e é mesmo porque ela se fecha toda e tem uma bolsa própria para carregá-la). Também garantimos que se, ao chegar em casa, ela desistisse de ficar com a cadeira uma de nós a pegaríamos para revender. Eu compraria a cadeira de qualquer jeito porque eu simplesmente me apaixonei por ela. Sabe aquelas típicas cadeiras de diretor de cinema? Pronto. Esta é bem parecida.

Não precisa montar, é só abrir ou fechar e ela fica prontinha. Detalhe: ela ainda tem um porta lata em um dos braços. Eu escolhi esse modelo aí da foto. Né linda? Assistirei a muitos filmes sentada nela (com cuidado pra não ficar mutio tempo sentada e quebrar a bichinha, claro). Fiquei com vontade de comprar uma pra Clarinha mas 1) acho que não tem mais espaço no quarto dela, e 2) eu já tinha sacola demais para carregar e ia ficar muito na cara quando eu passasse na alfândega.

Resumindo, os CDs que comprei naquele dia foram as compras mais extravagantes que fiz, porém esta cadeira foi, sem dúvida, a mais excêntrica. E tá pensando que só a gente que teve essa idéia? Pois na Vigília tava assim de gente com o mesmo modelo. Não vendo, não troco, não dou e ainda compraria mais. Quer dizer, comprarei quando lá voltar.

Fã, você sabe, sofre mas se diverte.

4 Comments:

At 24 setembro, 2007, Blogger annix said...

Que linda a cadeira!!

 
At 24 setembro, 2007, Blogger Gal said...

Eu tava louca pra ver a cadeira. Ela é linda! E a bolsa em formato de guitarra é maravilhosa.

Besos y namarië.

 
At 25 setembro, 2007, Blogger stella said...

linda, gil! eu pensei que fosse mais pesada, quando expe me disse "a gil comprou uma cadeira!"... tb achei que fosse daquelas tipo de praia, sabe?

 
At 06 janeiro, 2008, Anonymous Lili Presley said...

Gil,

Preciso tirar uma foto juntinho dessa linda cadeira, o Elvis está lindíssimo. Quando você for dar a palestra para Stand By Me, por favor, leve-a, o pessoal vai adorar e pretendemos filmar tudinho.
aguardamos sua confirmação no nosso evento que será dia 13.01.08, depois darei detalhes.
bjs.

 

Enviar um comentário

<< Home