03 fevereiro 2009

Sobre os covers de Elvis

Lá estava eu ontem, tentando relaxar depois de um dia particularmente estressante, folheando uma revista repleta de vestido de noivas quando, já lá pelo final dela, dei de cara com um anúncio que realmente me chamou a atenção. Era de um cover de Elvis dizendo que cantava em casamentos.

E aí eu tinha que vir aqui falar sobre isso.

Eu acho legal você arrumar sua forma de prestar homenagem a Elvis e de divulgar o trabalho dele. Conheço muita gente que é fã de cover de Elvis, há comunidades no orkut dedicadas a covers de Elvis. Contudo, não entra na minha cabeça alguém que é fã lucrar dessa forma com o nome de Elvis, deixando bem claro: você ganhar a vida vestido de Elvis e imitando os trejeitos dele é uma coisa da qual eu não gosto.

Uma vez ou outra você atacar de cantor de karaokê ou animar o casamento ou festa de amigos ou a sua própria com alguma jumpsuit vá lá, mas putz tem gente que parece ter esquecido o motivo pelo qual começou a se trajar de Elvis e, por isso, perdeu toda e qualquer noção de limite.

Em Memphis, há vários covers de Elvis para onde a gente vai. Muitas, mas muitas pessoas mesmo, param para tirar fotos com eles e isso acaba gerando um sentimento neles de super astro da música internacional, só pode!, tamanha a quase (e muitas vezes é mesmo) nojenta pose de estrela.

Com dois eu tive um contato mais próximo quando estive lá: um brasileiro lá do Sul, que estava num grupo que veio falar conosco e quando esse cover chegou tascou um "eu mal consigo andar aqui de tanta gente me pedindo para ser fotografada comigo" e o outro foi um que estava participanda do concurso de E.T.A (impersonators de Elvis) e hospedou-se lá no Residence Inn feito a gente - esse pediu para a gente não perder a apresentação dele na competição (que custava 60 dólares!!!!!!!).

Como eu disse, eu acho até legal certas homenagens. No caso de cover, acaba ajudando até a multiplicar a imagem de Elvis mundo afora. O problema é que geralmente a imagem que passa é de um Elvis caricato que, a mim, dá mais a impressão de espantar do que atrair novos fãs do Rei.

ps: em tempo - no meu casório vai ter Elvis sim, mas eu prefiro sempre o original.

Etiquetas:

5 Comments:

At 06 fevereiro, 2009, Blogger Ron Groo said...

Eu acho que você tem razão.
A maioria dos imitadores do Elvis usam a fase "Las Vegas" como referencia. Não gosto.
Uma fase carregada na lantejoula, suores e arranjos pouco relevantes.
Se ao menos fosse o Elvis do "Comeback Special 68", com o homem todo em couro preto, cuspindo fogo e com uma banda maravilhosa... Ai sim.

 
At 25 fevereiro, 2009, Blogger kaka freitas said...

Realmente...concordo com vocês dois.
Ron...boa a sua idéia. realmente poderia ser comeback, ao menos nao ficariam tão estranho e a ideia da banda é legal...mas deveriam ser...sua própria banda cantando suas músicas e um especial Elvis...por ser fã, entende? ai sim, seria legal.

 
At 06 março, 2009, Blogger Bruno said...

o problema não é a fase de elvis que os covers retratam e sim como o retratam, e a maioria retrata de maneira patética
PS: quase todos os fãs de elvis preferem os anos 70, por ser o auge de elvis como artista. quanto ao vestuário elvis sempre foi muito extravagante, o problema é que as roupas dos covers assim como grande parte suas atuações são médiocres e mal feitas

 
At 12 março, 2009, Blogger Expedito Paz said...

A idéia do Ron é ótima, a bronca é o pessoal querer entrar em forma pra poder encarar um visual todo de couro preto, hehehehehe

Acho que a vantagem do visual anos 70 é que o cara pode ser um monstro de gordo e ainda mandar fazer o jumpsuit do jeito dele:)

 
At 10 maio, 2011, Blogger Rick and Roll said...

Conheço vários covers que interpretam Elvis em sua fase terminal.
E nenhum deles se atreve a imitar o Elvis 56, o Hillbilly Cat.
Por que será ???

 

Enviar um comentário

<< Home