22 março 2008

Elvis gospel

Uma vez, na universidade, tirei a nota máxima na disciplina Oficina de Textos. Foi um fato raro porque o professor não era muito chegado nessas coisas. E eu confesso que me surpreendi também. A nota veio depois que ele leu a introdução da entrevista que fiz com o André, presidente do Eternal Fan Clube. Lá eu falava sobre Elvis e de como, apesar dele ser conhecido como o Rei do Rock, ele ganhara destaque também com outros ritmos e que os prêmios Grammy dele foram apenas com o gospel.

Pois bem, eu já sabia que Elvis amava o gospel, mas há dois dias eu me dei de presente o DVD He Touched Me. Duplo, é um documentário com depoimento do pessoal que cantou com ele: The Imperials, Sweet Inspirations, Jordanaires e the Stamps. O DVD não deixa dúvidas do quanto Elvis realmente apreciava as canções gospel e o quanto ele usava isso para "conversar" com Deus.

Todos se diziam impressionados com a vontade dele em conhecer cada vez mais sobre o gospel, pesquisando grupos (quartetos) pelos Estados Unidos, recortando matérias de jornais e não se esquivando de demonstrar para eles sua admiração. J.D. Sumner era seu ídolo maior, praticamente um membro da família e Elvis dizia que "Deus tinha acabado comigo quando não me tornou um artista de tom baixo" - o mesmo que imortal J.D.

Os músicos contam ainda que Elvis passava horas e horas, muitas vezes após as apresentações, ouvindo gospel que ele pedia para que os quartetos cantassem. Eles confessam que nem sempre gostavam por já estarem esgotados, mas que - se pudessem voltar no tempo - cantariam para Elvis até não agüentarem mais.

Ao amor de Elvis pelo gospel eles associam a sua generosidade e o não-preconceito. Myrna, backing vocal de Elvis e membro das Sweet Inspirations, relata que uma vez no Texas disseram a Elvis "pode deixar as negrinhas em casa". Elvis não só disse que não faria isso como exigiu: se quiserem que eu cante, arrumem um carro conversível (ou seja aberto) para que eu desfile junto à platéia com as meninas". O pessoal do Texas teve que engolir o racismo e, coincidência ou não, quem dirigiu o carro era uma mulher loira:P

Divertido também o momento em que contam que, durante as filmagens de Jailhouse Rock, Elvis fez seu tradicional aquecimento de voz, ou seja, cantando gospel. Os executivos do estúdio não sabiam e se queixaram, orientando os músicos a não acompanharem Elvis ao piano com aquele tipo de música e que treinassem a trilha do filme. Quando Elvis soube mandou dizer que ele sabia quando estava pronta para cantar e que se ele quisesse ficar ali por uma semana, ele ficaria. Daí, foi embora com os músicos deixando os executivos de queixo caído (no outro dia, ele chegou na hora certa e cantou as músicas do filme, mas o recado já tava dado).

Por três horas a gente viaja no mundo gospel de Elvis e, no meu caso, a emoção chegou ao ápice nos minutos finais. Foi quando contaram detalhes do funeral de Elvis, na cerimônia fechada para a família, amigos íntimos e o pessoal que trabalhavam com e para ele. Um cantor gospel desses que canta em programas evangélicos na TV, muito famoso nos EUA ao longo dos anos 50 e que deixou Elvis imensamente feliz ao conhecê-lo, foi convidado por J.D. Sumner para cantar os gospel favoritos de Elvis.

Joe Guercio, maestro que regia Elvis e os músicos durante os shows, pediu então para regê-lo "pela últina hora de cantar How great Thou art (um dos maiores e mais emocionantes sucessos na voz de Elvis). O cantor lembra que jamais vai esquecer a imagem de Joe regendo com o rosto banhado em lágrimas. Assim como diz que uma das imagens mais marcantes para ele naquele dia foi quando passaram por um cruzamento (ele estava na primeira das 17 limousines brancas que acompanharam o cortejo de Graceland para o Forest Hill Cemetery) e viu um rapaz em uma moto. Quando o carro com o corpo de Elvis passou por ele, o rapaz - que trajava camisa sem mangas e exibia várias tatuagens nos braços - retirou o capacete, colocou-o junto ao peito e fez reverência a Elvis.

O documentário é de 1999 e tem a opção de legendas em português mas com a letra das músicas em inglês. O que é muito bom, porque dá pra acompanhar cantando coisas lindas como How great thou art, Peace in the valley, Where could I go; I, John, If I can dream, An American Trilogy, You gave me a mountain, In the ghetto, Put your hand in the hand, He touched me; Sweet, sweet Spirit, Stand by me, You'll never walk alone, Farther along e muitas outras.

E-M-O-C-I-O-N-A-N-T-E!!!

E para você que quiser ouvir Elvis cantando gospel, procure os CDs His hand in mine, He touched me e How great thou art ou pegue a coletânea Amazing Grace.

Eu recomendo!

3 Comments:

At 22 março, 2008, Anonymous Ron Groo said...

Gil, e Long Black Limousine? É gospel? Está em que CD? Eu gosto tanto desta canção e o Alê não me passa... Vi um documentario sobre o Elvis Gospel, mas como foi na rede do Edir Macedo fiquei meio na duvida se era ou nao manipulado...

 
At 17 abril, 2008, Anonymous Ron Groo said...

Agora eu ouvi... E recomento!!!

 
At 26 julho, 2008, Blogger Luís Joly said...

Esse foi o documentário que passou na Record, né?

Tenho um acervo considerável de CDs e DVDs do Rei... Precisamos compartilhar alguns arquivos!

Abs, e adorei a idéia do casamento em Graceland!

 

Enviar um comentário

<< Home